domingo, 16 de setembro de 2012

Uma Pessoa Especial

Ontem foi aniversário de uma pessoa muito especial. Na contramão da crença popular A -D-O-R-O minha sogra.
Quando comecei a namorar meu marido, minha sogra me disse "Essa história de sogra não se dar com a nora é porque a nora não entende o jeito da sogra de ser mãe". Não sei se foi isso que tornou a nossa relação tranquila, na qual cada uma respeita o jeito da outra ser filha e de ser mãe ou se o nosso jeito simplesmente se combinou.
E o mais legal é vê-la como vó dos meus filhos. Ela realmente se diverte com eles e me ajuda pacas!!! kkkk
Ensina para meus filhos as coisas que não sei fazer como plantar e cuidar das flores, e isso não sei fazer mesmo! Eu sei que hoje em dia, com tudo sustentável isso é até um sacrilégio, mas como as plantinhas não falam eu simplismente esqueço de rega-las kkk. Desculpe Ana, mas eu não sei lidar com o verde kkkk
Outra coisa que é ótimo, e as crianças amam, são as histórias que ela lê de acordo com as escolhas do Nanni, que tem uma biblioteca razoável.
Por tudo isso, e muito mais que não sou capaz de nomear, fiz um scrapbook para dar de aniversário para ela. O Nanni teve uma participação especial na escolha dos papéis e nos desenhos utilizados.

Escolhi uma foto que ela estava com os dois fazendo o que ela mais gosta: sendo VÓ!! Ela estava lendo para os dois, a história da vez era "Chapeuzinho Negro" do livro Chapeuzinhos Coloridos. É um livro bem legal com várias releituras da "Chapeuzinho Vermelho", acho que vou acabar fazendo outro tópico de livros infantis que eu adoro (eles adoram...) kkkkk.
Escolhemos, Nanni e eu, três folhas: uma que lembrava a floresta da Chapeuzinho, outra que tinha um avental bem grande, pois o Nanni vive tirando o avental da vovó para ela brincar com ele, e finalmente uma que tinha temas alegres e que lembravam essa relação, como materiais de jardinagem.

Vamos ao scrapbook!
Para começar a base que eu usei para deixar duro era pequena demais para as figuras escolhidas e as figuras não poderiam faltar pois uma era o avental (um simbolo na relação avó e neto) e a segunda era uma casinha que remetia à história da foto.
Depois de muito pensar resolvi fazer como um convite, em que o envelope quando aberto também faria parte da montagem, mais parecia com um cartão mesmo.

Por fim ficou assim:

 

Coloquei no fundo do "envelope" um pedaço de contact e atrás da parte interna também, para colocar uma dupla face caso ela queira deixa-los juntos.


Outro imprevisto que ficou bem legal foi a falta de alfabeto suficiente para escrever uma frase, então acabei escrevendo a mão, brincando com o espaço, o que resultou num efeito bem legal.

Entregamos assim:


Não ficou um mimo? Adorei o resultado!!!
Estou começando a gostar dos meus feitos. kkkk

Bjs