segunda-feira, 6 de maio de 2013

Hora da Comida, Prazer ou Tortura?

Sempre escuto que a hora da comida é uma das coisas mais angustiantes e como isso também foi um momento delicado para mim, resolvi fazer esse post.

Para começar aqui em casa tenho duas crianças uma diferente da outra e isso em tudo. O que o Nanni é tolerante e a Manu quer as coisas para ontem; a Manu dorme cedo e acorda ligada, o Nanni dorme tarde e faz 5, ou mais, minutos de preguiça; o Nanni é tímido e a Manu desconfia até da sombra. E eles se fazem singulares em suas diferenças.
fonte:google


Na hora da comida não poderia ser de outra maneira, cada um se comporta de um jeito, mas seguimos algumas regras.

  • A Mesa é um momento de partilha: todos sentamos a mesa para comer, quando eles eram pequenos que ainda não comiam participavam do momento ficando próximo da mesa e quando começaram a comer os sucos e frutas também eram oferecidos na mesa;
  • As refeiçoes tem hora para começar e acabar: não ofereço nada entre as refeiçoes (café da manha, colação, almoço, lanche, janta, ceia), acabamos de comer e ele está enrolando tiro o prato e vai se alimentar na próxima refeição;
  • Sem lanches reforçados: não almoçou bem, mas está acostumado a mamar uma mamadeira de leite puro a tarde, então é o que terá. Não mudo o lanche da escola porque o almoço foi ruim (comeu menos da metade do prato);
  • Comer só sentado: nada de sair andando atrás deles para comer, quer comer tem que ficar sentado levantou acabou a refeição. Está comendo bolacha ou fruta tem que sentar, quando a criança faz isso ela presta atenção no que está comendo;
  • Oferecer de tudo sempre: cardápio variado em sabor e consistência, sigo a máxima "prato colorido é prato saudável"!
  • Cada um no seu lugar: a refeição é um ritual, então cada um tem que ter seu lugar. Sempre tive caderão, não sei dar comida pra ninguém no colo, faço a maior lambança.
De forma geral as regras são essas, mas as crianças são outras...

Com o Nanni eu sofri bastante no começo, ele tem um apetite ponderado nunca vai comer até passar mal. Ele já começou rejeitando meu leite com seis meses, simplesmente virava acara e só queria as frutas e depois a comida. Depois começou a dar trabalho para comer, comia no almoço e não comia na janta, eu fazia de tudo cantava, brincava, ficava brava e nada. Até que eu comecei a perceber algumas coisas (com ajuda externa kkk claro!!):
  • você prepara a comida para alguém e quando esse alguém não quer parece que esta recusando seu afeto. Isso fazia todo sentido, eu me sentia super angustiada, assim mudei o pensamento de "ele não gostou do que eu fiz com tanto amor"para "ele não está com fome" isso se tornou um mantra;
  • compulsão por prato vazio.Euzinha!! Lotava o prato do menino que estava começando a experimentar texturas e sabores novos e queria que ele comesse tudo. Comecei a colocar a metade ou até menos daí ele limpava o prato e se queria mais ia acrescentando de pouquinho. 
  • atenção de mais vira tensão. Percebi que dar comida me deixava super ansiosa, eu queria ver o final logo. Ele sempre ficou na mesa conosco, mas eu dava a comida primeiro pra ele depois comia, então comecei a comer ao mesmo tempo isso desfocava a atenção da comida dele e quando eu percebia já tinha acabado.
  • a criança tem seu regulador de apetite. Saber disso é uma coisa aceitar que seu filho tem apetite de passarinho é um exercício árduo, mas eu consegui!!!

Nanni

Hoje o Nanni está com quase 3 anos e come de tudo menos leite, não preciso esconder o brócolis, ele adora espinafre e beterraba, sabe se comportar à mesa e come sozinho. Seu apetite continua bem ponderado, mas não pula e nem substitui as refeição.

Já a Manu é aquele bebê que toda mãe pediu a Deus, come com uma boca gostosa que é prazeroso dar comida. Tem um apetite voraz e nada o estraga. Come de tudo, menos sopa de ervilha, e em grande quantidade, enquanto estiver sentada na mesa ela está comendo. O apetite é dela, mas acredito que sou muito mais sossegada e isso também tem a sua contribuição nesse comportamento.

Manu


Não sei como fazer para mudar o habito ou melhorar o apetite das crianças que não comem bem, porque mudei muito cedo minha relação com a alimentação do Nanni, mas posso afirmar uma coisa uma criança que não come bem ainda tem esperança na vida adulta. Fui uma delas e hoje como de tudo e não tive problemas de desenvolvimento. kkkk

Como funciona com vocês?

Bjs